`Conselho prevê segundo maior ano de sempre para a produção de azeite - Olive Oil Times

Conselho prevê segundo maior ano de sempre para a produção de azeite

Pode. 17, 2011
Julie Butler

Notícias recentes

Espera-se que este ano seja o segundo melhor do mundo em produção de azeite, graças em grande parte aos aumentos na Argélia, Marrocos, Síria e Turquia.

Segundo as previsões do Conselho Internacional do Azeite (COI), a produção de 2010/11 será de 3.08 milhões de toneladas - a UE representa 73% disso - acima dos 3.02 milhões de toneladas em 2009-10 e na esteira de 2003/04 recorde de 3.17 milhões de toneladas.

A Espanha deverá pesar com 1.37 milhões de toneladas - 45 por cento da produção mundial - seguida pela Itália (480,000 toneladas), Grécia (300,000 toneladas), Portugal (71,800 toneladas) e França (5,600 toneladas) e França (- toneladas).

Em seu boletim de mercado de abril, o COI disse que as principais fontes do aumento da produção deste ano foram a Síria (com o objetivo de atingir uma alta histórica de 180,000 toneladas), a Turquia (160,000 toneladas), Marrocos (onde a produção deve dobrar para a 150,000 toneladas) e Argélia (50,000 toneladas).

A produção global de azeite aumentou 89% nos últimos 20 anos. Foram apenas 1.45 milhão de toneladas em 1990 - 91.

Imports

Nos primeiros três meses de 2010-11 (outubro-dezembro), as importações combinadas para a UE, EUA, Brasil, Canadá, Japão e Austrália aumentaram 17% em relação ao mesmo período do ano anterior. A UE em particular apresentou um grande aumento, 22 por cento.

Observadas ao longo dos cinco meses até fevereiro, as importações no Japão diminuíram 6%, mas aumentaram em outros lugares: Austrália (+2%), Brasil (+21%), Canadá (+16%) e EUA (+9%).

Preços do produtor

O COI observou uma diferença crescente entre os preços ao produtor na Itália e os pagos na Espanha e na Grécia. Em comparação com o mesmo período do ano passado, os preços do EVOO são 5 por cento mais baixos na Grécia (€ 1.94 / kg) e na Espanha (€ 2.01 / kg), enquanto na Itália aumentaram 44 por cento (€ 3.90 / kg).

"Nas últimas semanas, assistimos a um forte aumento dos preços na Itália, contrastando com uma pequena queda na Grécia e estabilidade na Espanha. Isso tende a confirmar a distância crescente entre os preços pagos aos produtores na Itália e os pagos na Espanha e na Grécia ”, disse o COI.



Anúncios

Notícias relacionadas

Feedback / sugestões