Regras da UE a favor de Sovena na batalha de marcas

As empresas rivais Sovena e Mueliva lutaram para reivindicar a posse de marcas similares.

Janeiro 12, 2017
Por Courtney Slusser

Notícias recentes

Após quatro anos de debate, o Gabinete da Propriedade Intelectual da UE (EUIPO) decidiu a favor do fabricante de azeite Sovena, emitindo o direito de usar todas as representações da marca Fontoliva.

A utilização genuína da marca espanhola anterior em Espanha para o azeite virgem durante o período relevante não foi estabelecida pela Mueloliva.- Instituto da Propriedade Intelectual da UE

Até então, a produtora de azeite de oposição Mueloliva havia feito esforços para impedir a Sovena de utilizar a marca, reivindicando autoridade exclusiva sobre os direitos da Fontoliva devido à sua semelhança com a sua própria marca Fuenoliva. Depois de descobrir o uso atual e comercial limitado da marca por parte da Mueloliva, o EUIPO concedeu o favor à Sovena, encerrando uma discussão de quatro anos entre as duas empresas.

A Fontoliva atraiu disputas entre as empresas rivais ao reivindicar a propriedade da marca e sua semelhança.

Em 2012, a Sovena, um importante produtor de azeite de Portugal, candidatou-se ao registo da marca Fontoliva, mas encontrou a oposição da Mueloliva, que reivindicou os direitos de propriedade e utilização exclusivos.

Mueloliva argumentou que o seu direito à propriedade exclusiva era apoiado por precedentes estabelecidos, apontando duas decisões do EUIPO. No 2014 e 2015, o EUIPO confirmou a decisão em favor da Mueloliva, mostrando que a marca Fuenoliva era atual e que o uso da marca Fontoliva pela Sovena poderia criar confusão entre os consumidores.

Após uma investigação mais aprofundada, o EUIPO descobriu informações adicionais que apoiam a decisão de conceder à Sovena o direito de usar a marca Fontoliva.

Apesar das alegações de ampla produção atual, o EUIPO concluiu que o uso da marca pela Mueloliva era limitado em escopo, atingindo apenas 42,000 litros em vendas, uma pequena quantidade para o mercado em análise. Além disso, apenas dez faturas não consecutivas, três rótulos e dois artigos de imprensa foram descobertos como evidências que sustentam a afirmação de Mueloliva.

O acórdão do Tribunal Geral concluiu: "Daqui resulta que a Mueloliva não estabeleceu uma utilização genuína da marca espanhola anterior em Espanha no azeite virgem durante o período relevante […], nomeadamente tendo em conta os baixos volumes que provaram ter sido comercializados sob essa marca e a natureza irregular das vendas em questão durante o período relevante em relação à capacidade de produção de azeite da parte contrária e às características desse produto alimentício de consumo em massa. ”

De acordo com o site legal da InfoCuria, o tribunal encontrou o favor da Sovena com base no uso genuíno limitado da marca Fuenoliva anterior. Para além de uma decisão que concedeu a proteção da utilização do nome Fontoliva, o tribunal condenou o EUIPO no pagamento de quaisquer despesas incorridas pela Sovena com o processo judicial. Além desse pagamento, o EUIPO e a Mueloliva foram condenados cada um a pagar metade das despesas efectuadas pela Sovena para efeitos do processo na Câmara de Recurso do EUIPO.

O processo Sovena Portugal - Consumer Goods SA v EUIPO está oficialmente encerrado.



Notícias relacionadas

Feedback / sugestões