Guarda Civil da Espanha apreende 120 toneladas de azeite falso

Os agricultores alertaram a polícia de que algumas empresas podem ter manipulado azeite de oliva com biodiesel, com a intenção de distribuí-lo no mercado como azeite de oliva.

Pode. 30, 2016
Por Ylenia Granitto

Notícias recentes

A Guarda Civil Espanhola apreendeu mais de 120 toneladas de azeite falso, sob a operação 'Cloroil.

As unidades da Polícia Judiciária da Guarda Civil de Jaén prenderam 9 pessoas e outras 2 estão agora sob investigação. Quatro têm antecedentes criminais por ilegalidades, como falsificação e fraude contra consumidores. Entre eles estão: Enrique Fuentes Ibáñez, que já cumpre pena pelo 'Caso Iniosa (alegada fraude em que mais de 200 olivicultores de Jaén e Córdoba entregaram as suas colheitas de 2001 e 2002 a uma empresa que posteriormente declarou falência, deixando-os por pagar); e seu filho Enrique Fuentes P., também preso por fraude fiscal por falsificação e pertencente a organização criminosa.

De acordo com Guarda Civil No site, a operação foi lançada quando os agentes, durante uma de suas reuniões periódicas com organizações agrícolas, cooperativas e associações de agricultores, foram alertados sobre a possibilidade de que algumas empresas estivessem manipulando o azeite com biodiesel, com a intenção de distribuí-lo. no mercado como azeite.

Os agentes montaram um dispositivo para detectar a movimentação de caminhões e descobriram que uma empresa com sede em Jaén recebia remessas de azeite de girassol da França, azeite de palma do Equador e azeite de abacate da Grécia. Eles também descobriram que a empresa estava adquirindo aromatizantes e corantes desnecessários para suas atividades comerciais designadas.

A Guarda Civil, em coordenação com o Ministério Regional da Agricultura do Governo da Andaluzia, inspecionou as instalações e as áreas administrativas da empresa e coletou amostras de azeite em outras quatro empresas em Jaén, Granada e Córdoba. Eles descobriram e apreenderam toneladas de azeites diferentes, aromas de tomilho e alho da 120, clorofila de magnésio solúvel em gordura por cento da 16 e documentos falsos.

Anúncios

A falsificação dos documentos de transporte teria sido utilizada para evitar o rastreamento de grandes contêineres de baixa qualidade utilizados no transporte de azeites, o que causava risco à saúde pela possível presença de resíduos nocivos. A blend de azeites pode ser prejudicial a pessoas com sensibilidade a certas substâncias e alérgenos.

Um dos procedimentos para a obtenção do azeite poderia ser a utilização de extratos já utilizados e descartados por outros fabricantes, enquanto o azeite de girassol havia sido submetido a um processo de refino e posteriormente blenddo ao azeite de palma ou abacate. Descobriu-se que o produto final era composto de apenas 15% de azeite.


Anúncios

Notícias relacionadas

Feedback / sugestões