` Itália e Tunísia exportam mais azeite para a Espanha - Olive Oil Times

Itália e Tunísia exportam mais azeite para a Espanha

7 março, 2013
Julie Butler

Notícias recentes

A queda drástica na produção de azeite de oliva da Espanha nesta temporada parece ter sido uma bênção para a Itália e a Tunísia, que aumentaram drasticamente as vendas para seu vizinho mediterrâneo, de acordo com dados da Cooperativas Agroalimentares da Espanha.

Enquanto isso, a Itália continua sendo o principal comprador estrangeiro de Azeite espanhol, embora o volume tenha diminuído e a Espanha tenha perdido terreno no mercado crucial dos Estados Unidos.

Importações para a Espanha

As importações da Itália para a Espanha atingiram a 5,065 toneladas nos três primeiros meses da temporada (outubro a dezembro), quase quadruplicam a do mesmo trimestre da 2011. Os da Tunísia subiram 256 por cento, para 2624 toneladas.

Portugal, no entanto, continua sendo o principal fornecedor estrangeiro da Espanha, entregando quase 7,000 toneladas no trimestre, queda de apenas 2 por cento em relação ao mesmo período de 2011. O grupo Sovena, que tem plantações em Portugal e fornece azeite para supermercados Mercadona na Espanha, é responsável por grande parte desse volume.

A Itália foi a próxima, seguida por Marrocos (4,194 toneladas) e França (aumento da metade para 2,044 toneladas), depois pela Grécia (713 toneladas) e Argentina (redução de um quarto para 580 toneladas).

No geral, importação de azeite na Espanha subiram 85 por cento em volume, atingindo quase 23,000 toneladas, e 113 por cento em valor. Desses, 11,750 foram lampante grau e quase 8,700 virgem ou extra virgem e o restante abrangeu outras categorias e frações de azeite.

Exportações caíram um quinto

Enquanto isso, o país, ainda em crise financeira, sofreu uma queda nas exportações de quase um quinto em termos de volume, caindo para 178,361 toneladas no trimestre, embora em euros a queda tenha sido de apenas 2.3 por cento.
Dessas exportações, as toneladas 131,911 eram virgens ou extra virgens, 42,000 outras classes ou frações de azeite, e 4400 eram lampante.

O relatório das Cooperativas Agroalimentares mostra que a Itália continua sendo o principal destino estrangeiro do azeite espanhol - levando um terço do total - mas o volume caiu cerca de 40 por cento, para quase 61,000 toneladas no trimestre.

Portugal, principal fonte de importação da Espanha, é também o segundo maior mercado de exportação, com cerca de 22,300 mil toneladas. A França vem em seguida com 16,000 toneladas, quase inalteradas, mas o comércio no mercado dos EUA diminuiu quase um terço para pouco mais de 14,000 toneladas.

Do lado positivo para a Espanha, ela vendeu 9,600 toneladas para o Reino Unido, um aumento de 16%, e quase 9,200 toneladas para a China, um aumento massivo de 63%. As exportações para o Brasil, Japão e Índia aumentaram mais de 40%, mas as para a Austrália caíram cerca de 39%.

De acordo com a Agência Espanhola de Azeite (AA), a produção do país no primeiro trimestre foi de 383,000 mil toneladas, menos da metade da do primeiro trimestre de 2011/12, que estabeleceu um recorde de produção.

Cooperativas agroalimentares da Espanha prevê uma produção total de apenas 605,000 toneladas nesta temporada. A conseqüência do clima adverso no ano passado, especialmente a seca, representa menos da metade da média da Espanha nas últimas quatro temporadas e caiu quase 63% em relação às 1.6 milhão de toneladas da temporada anterior.



Notícias relacionadas

Feedback / sugestões