A presidente da Associação Australiana da Indústria do Alho se declarou culpada por importar ilegalmente material vegetal, que pode ter sido infectado com Xylella fastidiosa, ABC News reported.

Letitia Anne Ware importou mais do que bulbos de alho 2,000 do Canadá e dos Estados Unidos para a Tasmânia. Disseram ao tribunal que as variedades de alho que Ware havia importado eram um transportador conhecido do patógeno mortal da planta.

Xylella fastidiosa foi nomeada a ameaça número um de pragas de plantas no país pelo Departamento de Agricultura do governo australiano.

"Xylella fastidiosa é a última coisa que alguém quer entrar no país", disse Thomas Jones, o promotor do caso.

Ele também disse ao tribunal que Ware havia importado as lâmpadas em caixas que foram intencionalmente rotuladas como "material de escritório" para evitar a detecção na alfândega. Ware se declarou culpado de dez acusações e aguarda sentença.

Ao proferir sua decisão culpada, o juiz Gregory Geason disse que Ware colocou todo o setor agrícola da Tasmânia em "grande risco" e uma "penalidade severa" seria necessária para impedir comportamentos semelhantes no futuro.

"O fato de não estarem doentes é apenas boa sorte", disse ele.



Mais artigos sobre: ,