A organização sem fins lucrativos Interprofesional del Aceite de Oliva de Español Participará num projecto europeu que calculará a pegada ecológica dos azeites e o seu contributo para a redução dos gases com efeito de estufa.

O setor de azeite espanhol, juntamente com o grupo interprofissional, liderará o projeto europeu intitulado PEF (Production Environmental Footprint), uma iniciativa que estudará o controle de gases de efeito estufa durante a mudança climática através do cálculo das pegadas ambientais de olive oil tree cultivation e produção de petróleo.

A mudança climática é uma realidade que nenhum cientista questiona, e a maioria dos consumidores espanhóis de azeite de oliva tem consciência disso e leva em conta o efeito sobre o meio ambiente quando tomam sua decisão sobre quais produtos comprar.

O inquérito da UE Eurobarometer 367 Descobriram que 80 por cento dos europeus estão ocasionalmente preocupados com a compra de produtos que de alguma forma se relacionam com a melhoria do meio ambiente. Na verdade, o impacto ambiental de um produto é um fator determinante para os consumidores, logo atrás do preço e da qualidade, ao tomar uma decisão de compra.

As indústrias e cadeias de azeite reconhecem que os setores econômicos que efetivamente comunicam as informações ambientais de seus produtos terão uma vantagem sobre seus concorrentes, e os produtores foram rápidos em identificar, através do uso de rótulos ecológicos, produtos e serviços que tenham um impacto ambiental reduzido seu ciclo de vida.

Para que os consumidores europeus de azeite tenham confiança total nos rótulos ecológicos, a Comissão Europeia decidiu lançar o projecto das linhas-piloto, que definirá as regras categóricas para o cálculo do impacto que o azeite tem no ambiente.

Nesse contexto, European Commission O objetivo é desenvolver um aparato estratégico que estabeleça um método único para medir a pegada ambiental de um produto (PEF) ou uma organização (Organization Environmental Footprint-OEF) que enfocará seu ciclo de vida. O projeto está previsto para começar no início do 2017, envolvendo as partes interessadas e pesquisadores de países como Espanha, Itália, Grace e Portugal.

O objectivo principal do grupo interprofissional para o projecto é melhorar o modelo actual que está a ser utilizado para medir a pegada ambiental e que reflecte apenas o impacto negativo do ciclo de vida do azeite, ignorando o importante papel que a agricultura e os olivais desempenham a luta contra as alterações climáticas.

De acordo com data presented pelo Conselho Internacional da Azeitona na Conferência sobre Mudança Climática realizada em novembro em Marrakesh, os técnicos estimaram que o ciclo de vida de um litro de azeite, de quando é produzido até consumido, gera 1.5 quilos de dióxido de carbono para cada quilograma de óleo produzido. Os projectos de rótulo ecológico são vistos como uma forma de impulsionar o negócio europeu de azeite, bem como o ambiente.



Mais artigos sobre: , ,