Esforços combinados e resultados encorajadores no seminário internacional sobre Xylella Fastidiosa

Pesquisadores e especialistas participaram do seminário internacional sobre Xylella fastidiosa, realizado no Mediterranean Agronomic Institute, em Bari, para examinar a situação atual e definir medidas comuns para combater a doença.

Dezembro 15, 2016
Por Ylenia Granitto

Notícias recentes

O Conselho Oleícola Internacional (COI) e o Centro Internacional para Estudos Agronômicos Avançados do Mediterrâneo, CIHEAM, organizaram um seminário internacional sobre Xylella fastidiosa de 28 a 30 de novembro, no Instituto Agronômico do Mediterrâneo, em Bari, com o objetivo de fornecer a informação mais atualizada sobre a doença que afeta as oliveiras no sul da Apúlia. 

Pesquisadores e especialistas de instituições italianas e internacionais examinaram a situação atual para desenvolver medidas comuns que possam ser adotadas. 

Para além da investigação, da legislação e dos instrumentos disponíveis para monitorizar a bactéria, os temas dos oradores incidiram sobre os testes efectuados à bactéria e ao seu vector, e às estratégias e medidas agrícolas para combater o síndroma do declínio rápido das oliveiras afectadas.
Veja também: Cobertura completa do surto de Xylella Fastidiosa
Os especialistas também participaram de uma visita de campo e, na última mesa-redonda, destacaram a necessidade de fortalecer a colaboração científica, técnica e política entre os países.

Existem amplos esforços de pesquisa em andamento que estão produzindo resultados encorajadores contra a doença. Entre os muitos especialistas, Antonia Carlucci, da Universidade de Foggia, fez menção a um estratégia para conter organicamente, a rápida dessecação das oliveiras afetadas.

O Diretor da Unidade de Pesquisa de Árvores Frutíferas do Conselho de Pesquisa e Economia Agrícola de Caserta CREA-FRC, Marco Scortichini, fez uma palestra sobre os resultados preliminares dos testes de campo realizados em Veglie, na província de Lecce. 

Tem alguns minutos?
Experimente as palavras cruzadas desta semana.

"Durante 2015, um total de 40 oliveiras das variedades Cellina di Nardò e Ogliarola foram escolhidas para testar a eficácia de campo de um composto de 4 por cento de zinco mais 2 por cento de cobre, patenteado em Israel, para possivelmente controlar os efeitos da Xylella fastidiosa ”, ele explicado durante a conferência. "No pomar, a presença do patógeno foi verificada por meio de técnicas de diagnóstico molecular. ” 

O pesquisador disse que metade das árvores não foram tratadas e serviram como plantas de controle, enquanto um total de seis tratamentos de pulverização foram aplicados na copa das árvores do início de abril a outubro. Durante o verão, nenhum tratamento foi aplicado. 

"Para cada árvore, foi contado o número total de novos brotos que murcharam durante a estação vegetativa. Programas foram empregados para testar a significância estatística do tratamento e um teste molecular foi montado para apontar precisamente qual parte da folha e do galho deveriam ser retirados para detectar com segurança a presença de Xf dentro da árvore ”, esclareceu Scortichini. 

As árvores não tratadas apresentaram um aumento da incidência da doença, com a presença de novos brotos murchados e galhos, enquanto em todas as árvores tratadas a ocorrência de sintomas da doença, como novos brotos murchados, diminuiu significativamente. 

Este ano, além do registro adicional da incidência da doença, a técnica quantitativa de PCR em tempo real será aplicada para determinar a taxa de redução de Xylella fastidiosa no dossel das árvores, "oficialmente apurado pelo serviço fitossanitário regional quanto à presença do patógeno antes do início do estudo ”, destacou o pesquisador.

No final do seminário, o diretor executivo do Conselho Internacional das Oliveiras, Abdellatif Ghedira, indicou que a Xylella fastidiosa está em alta na agenda da organização e lembrou seu papel como centro internacional de documentação e informação sobre o setor. 

Ghedira também anunciou a participação do COI no "Projeto XF-ATORES ”, financiado pela UE ao abrigo do programa 2020 Horizon, que visa estabelecer um programa de pesquisa multidisciplinar para responder à necessidade urgente de melhorar a prevenção, detecção precoce e controle da Xylella fastidiosa.



Notícias relacionadas

Feedback / sugestões