Produção

Projeto usa drones para analisar as necessidades de cada árvore

Tecnolivo persegue a modernização da olivicultura com a criação de um instrumento tecnológico pioneiro baseado na agricultura de precisão.

Agosto 29, 2018
Por Rosa Gonzalez-Lamas

Notícias recentes

Os olivais em Huelva e no sul de Portugal são o foco do Tecnolivo, um projeto de pesquisa que examina o uso de tecnologia de precisão para a gestão e supervisão do cultivo de oliveiras, com o objetivo de maximizar a pesquisa, o desenvolvimento tecnológico e a inovação para gerar negócios no setor de azeitonas.

O projeto de 2.5 milhões de euros, liderado pela Universidade de Huelva por meio de seu grupo TEP-192, dedicado ao controle e à robótica, procura gerenciar áreas agrícolas considerando as peculiaridades de cada oliveira, em vez de lidar com plantações inteiras de forma homogênea.

Para isso, o projeto utiliza drones com sensores e câmeras de imagem multiespectrais.

Os sensores são colocados no chão ao redor das árvores ou na casca das árvores para obter informações sobre sua situação nutricional, hidratação, floração e frutos.

As câmeras capturam imagens multiespectrais que capturam o que é visível ao olho humano e imagens infravermelhas que podem detectar a radiação gerada por cada árvore e a terra ao seu redor.

Anúncios

Muitas considerações podem ser determinadas dependendo da análise dos espectros de banda. Isso pode revelar se uma planta carece de água ou fertilizantes, se sofre ou está em risco de sofrer doenças, e o progresso do florescimento e crescimento dos frutos, entre outras considerações. Quanto maior o número de espectros analisados, maior o número de variáveis ​​que podem ser identificadas para gerenciar o cultivo com mais precisão.

O que torna este projeto único, no entanto, é que ele permite configurar uma solução abrangente que combina os dados obtidos, enviados, processados, interpretados e visualizados com ações guiadas em um instrumento tecnológico pioneiro e fácil de usar para os agricultores. Seus desenvolvedores afirmam que permite o gerenciamento completo, ecológico e otimizado dos olivais através da monitoração não invasiva de parâmetros agronômicos que podem ser relevantes para a produção.




Realizam-se experiências na Andaluzia e em Portugal, considerando diferentes cenários para o cultivo de oliveiras, de acordo com a localização e a densidade de plantio: uma abordagem tradicional com árvores plantadas uma à outra, uma abordagem intensiva com um número maior de árvores por hectare e uma super- abordagem intensiva com a maior densidade por hectare. A Cooperativa Oleodiel em Huelva e a empresa portuguesa Elaia colaboram no projeto.

O objetivo final do projeto é fornecer aos agricultores uma ferramenta fácil de gerenciar que possa ser usada regularmente, como tratores ou outros equipamentos indispensáveis.

Será fornecido treinamento para explicar como usar a tecnologia e interpretar os dados individuais das árvores para gerenciar olivais de acordo com as respectivas necessidades de cada árvore e com a maior sustentabilidade possível, favorecendo o uso ideal dos recursos e a preservação ambiental.

O cultivo da azeitona é o foco do projeto, porque as azeitonas são as culturas com maior valor agregado e potencial econômico na Andaluzia, mas a Universidade de Huelva está explorando a possibilidade de aplicar a metodologia a outras culturas.

Além da Universidade de Huelva, outras entidades espanholas que colaboram no projeto incluem a Instituição Nacional de Técnica Aeroespacial (INTA) e a Sociedade Cooperativa Nuestra Señora da Oliva, em Huelva.

O Instituto Nacional de Técnica Aeroespacial de Portugal (INTA), a Instituição Nacional de Pesquisa Agrária e Veterinária, Ubiwhere, e a Murtigão-Agricultural Society também participam do Tecnolivo.

O projeto é liderado por José Manuel Andújar, professor da Universidade de Huelva. O projeto de P&D é financiado com fundos FEDER da União Europeia.





Notícias relacionadas