Europa

Estudo descobre tratamentos para reduzir sintomas mas não elimina Xf em oliveiras

A Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (EFSA) concluiu que os tratamentos utilizados nas oliveiras na Apúlia (Puglia) afectados pelas bactérias resultaram numa redução dos sintomas, mas não tiveram êxito na eliminação da doença.

O efeito de Xf nas folhas de uva
Pode. 4, 2016
Por Isabel Putinja
O efeito de Xf nas folhas de uva

Notícias recentes

Uma avaliação da Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (EFSA) concluiu que os tratamentos utilizados nas oliveiras da Apúlia (Apúlia) afetados pela bactéria Xylella fastidiosa resultaram em uma redução dos sintomas, mas não têm sucesso na eliminação da doença.

Um comunicado de imprensa publicado pela EFSA revelou detalhes de uma declaração adotada pelo especialista em painel de plantas da EFSA, descrevendo sua opinião sobre soluções de tratamento para plantas infectadas por Xf. A avaliação foi realizada em resposta a um pedido da Comissão Europeia de aconselhamento científico em resposta a perguntas sobre sua estratégia de controle contra Xf na região de Apúlia.

O painel da EFSA avaliou dois métodos de tratamento experimental diferentes atualmente sendo realizados na Apúlia por dois grupos separados de pesquisadores. O primeiro grupo da Universidade de Foggia vem tratando oliveiras infectadas com Xf com compostos bioativos que são aplicados após extensa poda das árvores. Cinco meses após o tratamento, as árvores rapidamente cresceram novos galhos com novas folhas livres de sintomas e produziram boas colheitas.

O outro método de tratamento está sendo realizado por pesquisadores do CREA (Consiglio per la ricerca in agricoltura e l'analisi dell'economia agraria) e envolve o uso de um produto comercial de zinco, cobre e ácido cítrico no tratamento de oliveiras infectadas. Resultados positivos também foram vistos aqui, com as árvores sobrevivendo ao verão de 2015 e ao inverno seguinte.

Esses tratamentos experimentais foram testados quanto à sua eficácia em suprimir apenas os sintomas da doença e, de acordo com os pesquisadores, os resultados positivos podem ser considerados apenas preliminares, e que outros tratamentos precisariam ser testados ao longo de outra estação de crescimento.

Anúncios

O painel de especialistas da EFSA concorda que a eficácia a longo prazo desses tratamentos não foi estabelecida, e mais estudos de tratamentos espalhados por várias épocas de cultivo seriam necessários para se chegar a uma conclusão sobre sua sustentabilidade. Mas o painel reconhece em sua declaração os efeitos positivos de tais tratamentos em potencialmente prolongar a vida das oliveiras, especialmente na zona infectada da Apúlia, que atualmente está sob contenção.

O painel da EFSA também examinou os tratamentos usados ​​em outras partes do mundo para controlar infecções bacterianas em oliveiras, bem como em videiras e cítricos, macieiras e pereiras. Ele descobriu que os resultados vistos na Apúlia são consistentes com a experiência de outras partes do mundo e confirmou que, embora existam tratamentos que podem reduzir seus sintomas, não há tratamento para eliminar a Xylella fastidiosa.


Notícias relacionadas