Jaén procura a UNESCO Nod por seu 'Mar das Oliveiras'

O governo provincial de Jaén foi o líder na busca do reconhecimento do único território andaluz como Patrimônio da Humanidade.

O mar das Oliveiras em Jaén, Espanha
Agosto 26, 2016
Por Alexis Kerner
O mar das Oliveiras em Jaén, Espanha

Notícias recentes

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), de acordo com seu site, "busca incentivar a identificação, proteção e preservação do patrimônio cultural e natural em todo o mundo, considerado de grande valor para a humanidade. ”

A Espanha possui os sites UNESCO da 45, o terceiro na lista, depois da Itália e da China dos países com mais reconhecimentos. Sete locais estão localizados na Andaluzia: Parque Nacional de Doñana; A Catedral, Alcázar e Archivos de Indias em Sevilha; Complexo de cavernas de Gorham; Antequera Dolmens Site; Alhambra, Generalife e Albyzin; O centro histórico de Córdoba e; Os conjuntos monumentais renascentistas de Úbeda e Baeza, Jaén.

A Espanha também estava entre os sete países listados pela UNESCO para praticar o Dieta mediterrânea, reconhecido como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade.

Qualquer viajante que tenha viajado pela Andaluzia e, mais especificamente, pela província de Jaén, pode contar sobre sua paisagem espetacular, pontilhada por milhões de oliveiras. Sua existência aparentemente infinita foi batizada de Mar de Olivos ou "Mar das Oliveiras.

Há um ano, o governo provincial de Jaén lidera a busca pelo reconhecimento do terreno andaluz único como Patrimônio Mundial.

Em abril, foi realizado um seminário na Universidade Internacional da Andaluzia (UNIA) em Baeza. O evento reuniu especialistas e especialistas para discutir os valores ambientais, antropológicos, econômicos e físicos dos olivais e a melhor forma de apresentar a ideia à UNESCO.

A Universidade ofereceu um curso de verão para abordar e preparar a comunidade sobre o valor cultural de suas oliveiras.

Foi estabelecida uma comissão técnica com representantes do governo de Jaén, do Governo Regional da Andaluzia, da Universidade de Jaén, cooperativas, da Associação Agrícola Orgânica da Andaluzia (CAAE), da Associação de Grupos para o Desenvolvimento Rural (ARA), da Fundação Guillén e da , Associação Espanhola de Municípios de Azeite (AEMO).

A comissão reconhece que não será uma tarefa fácil ser listado como Patrimônio Mundial. No entanto, ressaltam a grande importância ambiental, tradicional, cultural e econômica do Mar das Oliveiras. Existem cerca de 180 milhões de oliveiras na comunidade autônoma. Embora todas as oito províncias da Andaluzia cultivem azeitonas, Jaén é o maior produtor, fornecendo ao mundo 22 por cento do seu azeite.

A comissão também afirma que a Andaluzia tem mais de 300 municípios que dependem da cultura como sua principal atividade econômica, 170,000 fazendas e um milhão e meio de hectares (370,658,072 acres) de seu campo plantado com a árvore.

A comissão técnica tem como objetivo apresentar o projeto ao Ministério da Educação, Cultura e Esportes até 2017. O Ministério decidirá então se vale a pena apresentar uma proposta à UNESCO. Caso seja selecionado, caberá à UNESCO tomar a decisão final em 2019.



Notícias relacionadas

Feedback / sugestões