Autoridade antitruste italiana apura Colavita de delito

A Autoridade Italiana de Defesa da Concorrência cancelou a Colavita Spa de uma acusação anterior de práticas comerciais desleais após um relatório da 2015 de maio da revista de consumo Il Test Salvagente.

Setembro 20, 2016
Por Ylenia Granitto

Notícias recentes

A Autoridade Antitruste italiana inocentou a Colavita Spa de uma acusação anterior de práticas comerciais desleais, após um relatório de maio de 2015 da revista de consumo Il Test Salvagente.

Giovanni Colavita, o representante legal da empresa, anunciou que a Santa Sabina cumpre os padrões de qualidade vigentes para o azeite virgem extra.

"Após 15 meses, finalmente, a Autoridade Antitruste Italiana forneceu clareza à sua Decisão n. 26161, publicado em 22 de agosto de 2016 em sua boletim oficial, que confirmou que, com base na análise realizada em Santa Sabina, resultou que este produto 'corresponde à categoria de azeite extra virgem declarado no rótulo ». Consequentemente, a Autoridade decidiu que não havia 'prática comercial desleal '. ” 

A decisão do Antitruste é a mais recente de uma série de atos após o relatório de Il Test que em maio de 2015 encomendou uma análise de 20 azeites rotulados 'virgem extra 'distribuída e vendida nos supermercados mais populares da Itália. Alguns foram considerados apenas virgens pela revista devido à presença de defeitos organolépticos encontrados nos testes do painel.

Consequentemente, o promotor de Torino iniciou uma investigação para verificar as acusações.

Enquanto isso, as associações de consumidores italianas reclamaram com a Autoridade Antitruste Italiana solicitando medidas em relação às empresas, alegando que "comunicações comerciais mentirosas ”apresentando seus produtos como virgens extras, embora pertencentes à categoria de azeite virgem inferior.

Em maio, o laboratório da Inspetoria Central para a Proteção da Qualidade e Prevenção de Fraudes de Produtos Alimentícios (ICQRF) do Ministério da Agricultura (Mipaaf), em Perugia, produziu seu relatório no lote 15203 de Santa Sabina, concluindo que a amostra analisada "foi considerado conforme com o tipo declarado ”, salientando que por diversos motivos a análise anterior não foi suficiente para fundamentar uma avaliação de práticas comerciais desleais.

Como diz a decisão antitruste, "as análises realizadas pelo Mipaaf-ICQRF são de extrema confiabilidade, uma vez que as operações de amostragem e as análises subsequentes foram realizadas por órgãos públicos responsáveis ​​por esse tipo de controle, que certificaram cada etapa do procedimento, da amostragem à certificação. Com base nos resultados da análise, foi certificado que Santa Sabina corresponde à categoria 'azeite virgem extra 'declarado no rótulo. ”

"Estávamos confiantes sobre esta decisão, que atesta o compromisso de nossa família com a qualidade ”, disse Colavita ao Olive Oil Times.


Notícias relacionadas

Feedback / sugestões