` Grupo Consultivo de Azeite da Europa Debate Mudanças - Olive Oil Times

Grupo Consultivo para o Azeite da Europa debate as mudanças

Jun. 20, 2014
Julie Butler

Notícias recentes

O futuro do órgão governamental do setor de azeite - o Conselho Oleícola Internacional (COI) - e os progressos nas negociações transatlânticas de livre comércio estavam entre os assuntos debatidos na última reunião do Grupo Consultivo da Comissão Europeia sobre Azeitonas e Produtos Derivados.

Rafael Sánchez de Puerta Díaz é presidente do Grupo Consultivo de Azeitonas e Produtos Derivados e gerente geral assistente da Dcoop (anteriormente conhecido como Grupo Cooperativo Hojiblanca).

Negociações transatlânticas de livre comércio

Rafael Sánchez de Puerta Díaz, da Espanha, preside o grupo, que se reúne duas vezes por ano para informar a comissão sobre as opiniões de várias partes interessadas, e disse que a reunião de 10 de junho também discutiu a necessidade de continuar a implementação do plano de ação da UE para o azeite e para dados de mercado mais precisos.

Sánchez disse que o grupo recebeu uma atualização da Comissão sobre os progressos em suas negociações de livre comércio com os EUA. Ele disse que os membros do grupo consultivo enfatizam a necessidade de pressionar pela homogeneização de padrões aplicáveis ​​ao setor de azeite e à remoção de barreiras comerciais, em particular em relação aos resíduos do pesticida clorpirifos-etilo, que continua a ver alguns recipientes de azeite rejeitados nos portos americanos.

Futuro do COI

Tem alguns minutos?
Experimente as palavras cruzadas desta semana.

Com o acordo de 2005 sobre a operação do COI expirando no final do ano, a discussão continuou sobre o futuro do conselho. Sánchez disse que o grupo apóia o envolvimento do COI não apenas nos países produtores, mas também nos consumidores, especialmente para promover a compreensão e aceitação de seus regulamentos sobre qualidade e pureza.

Plano de ação da UE para o azeite

Sánchez disse que o grupo consultivo lembrou à Comissão a necessidade de continuar com a implementação de seu plano de ação do azeite, em particular, o apoio à investigação sobre o controlo da qualidade e pureza do azeite e a promoção de uma informação mais consistente ao consumidor e da melhoria das classificações e definições dos produtos.

Embora exista consenso no grupo para alterar a atual definição do COI de "azeite ”- que é refinado com um pouco de azeite virgem - Sánchez disse que nenhuma alternativa foi proposta. "Acho que cabe ao setor de embalagens desenvolver uma proposta concreta ”, disse.

Possível fusão de grupos consultivos da UE

Fala-se na Comissão da possibilidade de combinar vários grupos consultivos da UE, como os das azeitonas e produtos derivados, das frutas e vegetais e das bebidas espirituosas. Sánchez disse que o grupo oleícola expressou sua total objeção a tal movimento, que combinaria produtos muito diferentes.

Imprecisão da produção de azeite e estimativas comerciais

Sánchez disse que continua a haver preocupação dentro do grupo consultivo sobre a precisão das estatísticas de produção e comércio. "Muitas vezes existem diferenças entre o que os governos informam à Comissão e o que dizem as organizações de produtores de um país, e isso ocorre principalmente na Itália ”, disse ele.

Da mesma forma, e embora esteja melhorando, discrepâncias são vistas nas balanças comerciais publicadas pelo COI, provavelmente devido à má gestão dos dados nos países que fornecem os números, disse ele.

Enquanto o mais recente COI boletim de mercado relatou uma queda ano a ano no azeite e azeite de bagaço de azeitona importações de quase 8 por cento em sete mercados principais, Sánchez disse acreditar no mercado mundial "ainda está crescendo. ”

Sánchez em nova função com Dcoop

Sánchez foi eleito presidente do Grupo Consultivo de Azeitonas e Derivados no ano passado. Em maio deste ano, foi nomeado gerente geral assistente da Dcoop (anteriormente conhecido como Grupo Cooperativo Hojiblanca), o maior produtor mundial de azeite extra-virgem. O ex-diretor geral da FAECA, a Federação Andaluza de Empresas Cooperativas Agrícolas, continua a representar o setor em vários níveis, inclusive em comitês do COI e do lobby dos agricultores da UE. Copa-Cogeca.


Notícias relacionadas

Feedback / sugestões