`UE codifica padrões de marketing para azeite de oliva - Olive Oil Times

UE codifica padrões de marketing para o azeite

Janeiro 18, 2012
Julie Butler

Notícias recentes

No interesse de "clareza e racionalidade ”, a União Europeia publicou uma versão atualizada do seu regulamento relativo às normas de comercialização do azeite.

O UE n.o 29/2012, de 13 de janeiro de 2012, codifica as alterações substanciais que ocorreram desde a introdução do Regulamento 1019, relativo às normas de comercialização do azeite, em 2002.

Entende-se que o regulamento - em grande parte dedicado aos requisitos de rotulagem destinados a proteger e informar os consumidores - não vai além do que fornecer uma cópia limpa das regras conforme alteradas e não introduz novas disposições.

Indicações geográficas

Novas reivindicações de identificação incorreta envolvendo 'O azeite fabricado no país italiano recentemente colocou a questão das origens em destaque. Coldiretti, uma das principais organizações agrícolas da Itália, diz que encontrado em uma pesquisa que quatro em cada cinco garrafas de azeite virgem extra à venda na Itália contêm blends de azeites de outros países, mas os consumidores frequentemente precisam de uma lupa para ler isso no rótulo.

A qualidade é importante.
Encontre os melhores azeites do mundo perto de você.

O regulamento da UE deixa claro que, no caso de blends de azeites extra virgens ou virgens extra provenientes de mais de um estado membro da UE ou de um país não pertencente à UE, o rótulo deve descrever a denominação de origem usando uma das seguintes menções, conforme apropriado:

(I) 'blend de azeites originários da União Europeia »ou uma referência à União;

(Ii) 'blend de azeites não originários da União Europeia »ou uma referência à origem extracomunitária;

(iii) 'blend de azeites originários da União Europeia e não originários da União Europeia »ou uma referência à origem dentro e fora da União.

No caso de azeite virgem ou virgem extra extraído em lagar localizado num Estado-Membro da UE ou país terceiro diferente daquele onde as azeitonas foram colhidas, a denominação de origem deve conter a seguinte menção: “Azeitona (extra) virgem azeite obtido em (na União ou no nome do Estado-Membro em causa) a partir de azeitonas colhidas em (na União ou no nome do Estado-Membro ou país terceiro em causa) ”.

Pomadas e outras categorias de azeite

No caso do azeite de bagaço de azeitona, o regulamento exige que os rótulos ostentem, em letras claras e indeléveis, as seguintes informações de categoria: 'azeite constituído exclusivamente por azeites obtidos pelo tratamento do produto obtido após a extração de azeite e de azeites obtidos diretamente de azeitonas », ou 'azeite constituído exclusivamente por azeites obtidos pela transformação de bagaço de azeitona e por azeites obtidos diretamente de azeitonas.

No caso do azeite, o rótulo deve indicar: 'azeite constituído exclusivamente por azeites submetidos a refinação e azeites obtidos diretamente de azeitonas.

Para o azeite virgem é: 'Azeite obtido directamente a partir de azeitonas e unicamente por meios mecânicos ».

E no caso de azeite extra virgem: 'azeite de categoria superior obtido directamente a partir de azeitonas e unicamente por meios mecânicos ».



Notícias relacionadas

Feedback / sugestões