`2020 empatado para o ano mais quente da história, encerrando a década mais quente do mundo - Olive Oil Times

2020 empatado para o ano mais quente da história, encerrando a década mais quente do mundo

Janeiro 11, 2021
Daniel Dawson

Notícias recentes

As temperaturas médias globais em 2020 foram as mais quentes já registradas, marcando o fim do que também foi a década mais quente (2011 a 2020) já registrada.

De acordo com o dados publicados pelo Copernicus Climate Change Service, 2020 foi 0.6 ºC mais quente do que o ponto de referência padrão de 1981 a 2010 e 1.25 ºC acima dos níveis pré-industriais.

Não é nenhuma surpresa que a última década foi a mais quente já registrada, e é mais um lembrete da urgência de reduções ambiciosas de emissões para evitar impactos climáticos adversos no futuro.- Carlo Buontempo, diretor do Copernicus Climate Change Service

Os dados da entidade sancionada pela União Europeia também mostram que os seis anos anteriores foram os seis mais quentes já registrados, com 2020 e 2016 sendo ambos os mais quentes.



Entre as áreas mais afetadas estava o Ártico e partes do norte da Sibéria, que registraram temperaturas médias anuais entre 3 ºC e 6 ºC acima da referência de 1981 a 2010, incluindo a temperatura mais quente já registrada acima do Círculo Polar Ártico - 38 ºC.

Veja também: Notícias sobre Mudanças Climáticas

2020 também provou ser o ano mais quente já registrado na Europa. O continente responsável por cerca de 70 por cento da população mundial produção de azeite viveu o seu inverno mais quente, com temperaturas que ultrapassaram o recorde anterior estabelecido em 2016 em cerca de 1.4 ºC.

Em geral, o Hemisfério Norte (com exceção de uma região do centro do Oceano Atlântico Norte) experimentou suas temperaturas mais quentes durante todo o ano.

Enquanto isso, o Hemisfério Sul experimentou temperaturas ligeiramente abaixo da média, em parte como resultado da influência de resfriamento do La Niña.

"2020 se destaca por seu calor excepcional no Ártico e um número recorde de tempestades tropicais no Atlântico Norte ”, disse Carlo Buontempo, diretor do Copernicus Climate Change Service.

Veja também: Os desafios aguardam os produtores à medida que a bacia do Mediterrâneo fica mais quente e mais seca

"Não é nenhuma surpresa que a última década foi a mais quente já registrada e é mais um lembrete da urgência de reduções ambiciosas de emissões para evitar impactos climáticos adversos no futuro ”, acrescentou.

A organização deve divulgar uma análise completa e mais detalhada de suas últimas descobertas antes da cúpula anual da UE sobre o clima, em abril.





Notícias relacionadas

Feedback / sugestões