Olive Council se propõe a estudar tendências globais de consumo

O Conselho Oleícola Internacional afirma que vai iniciar um estudo para melhor compreender as tendências de consumo em todo o mundo.
Janeiro 15, 2021
Paolo DeAndreis

Notícias recentes

Nas últimas três décadas, global consumo de azeite quase dobrou, passando de 1.7 milhão de toneladas na safra de 1990/91 para 3.2 milhões de toneladas em 2019/20, segundo dados do Conselho Azeitona Internacional (COI).

No entanto, este crescimento não tem sido uniforme e a popularidade do azeite tem diminuído e fluído em diferentes partes do mundo, o que torna mais desafiador pintar um quadro das tendências de consumo e do mercado global de azeite.

Para tanto, o COI anunciou um projecto de investigação que irá reunir informação específica e localmente disponível, envolvendo entidades públicas e privadas, bem como consumidores.

"O estudo consistirá em uma revisão de todas as informações publicadas até o momento sobre o consumo de azeite e gordura em nível nacional e internacional e na análise de informações secundárias de fontes públicas e privadas ”, escreveu o COI. "Também será baseado em uma pesquisa representativa realizada por meio de um questionário estruturado dirigido aos consumidores dos países em questão. ”

Veja também: Consumo de azeite definido para ultrapassar a produção para uma mudança

Olhando para os números registrados nas últimas décadas, o COI destaca como é países não membros viram um aumento constante no consumo de azeite, crescendo de 14 a 30 por cento do consumo global total.

Anúncios

Os exemplos mais proeminentes desse crescimento são os Estados Unidos e o Brasil. Entre 1990/91 e 2019/20, o consumo de azeite de oliva nos EUA cresceu de aproximadamente 88,000 toneladas para 400,000 toneladas. No mesmo período, consumo no brasil aumentou de 18,500 toneladas para 104,000 toneladas.

Enquanto isso, na China, para a qual o COI só começou a coletar dados em 2008, o azeite de oliva o consumo também cresceu dramaticamente, passando de 12,000 toneladas para 57,500 toneladas em 2019/20.

Por outro lado, o consumo na União Européia, onde cerca de 70% do azeite de oliva do mundo é produzido, diminuiu significativamente.

Embora a UE respondesse por 70% do consumo mundial em 2004/05, esse número caiu para 50% em 2019/20.

"Quando o consumo começou a cair na UE, aumentou no resto do mundo ”, escreveu o COI. "Por isso, o estudo do comportamento do consumidor foi considerado necessário para analisar as variáveis ​​envolvidas no consumo e entender o que causou seu declínio em alguns países ”.

Devido à corrente Covidien-19 medidas de emergência que interfiram com as operações e atividades normais na maioria dos países envolvidos, o COI explicou que o projeto de pesquisa será oficialmente iniciado "o mais rápido possível, após a pandemia. ”





Anúncios

Notícias relacionadas

Feedback / sugestões