Portugal investe na exportação, promove dieta mediterrânea

O Ministério da Agricultura de Portugal anunciou o Terra Futura, um plano abrangente para promover a sustentabilidade e, ao mesmo tempo, aumentar a produção agrícola e as exportações do país.
Escritório de Planejamento, Políticas e Administração Geral
Outubro 1, 2020
Paolo DeAndreis

Notícias recentes

O Ministério da Agricultura português lançou uma nova iniciativa de dinamização do setor agrícola do país, que tem a particularidade de não ter orçamento fixo.

Maria do Céu Antunes, ministra da Agricultura do país, disse que a iniciativa é distinta, mas alinha-se aos objetivos da União Europeia Política Agrícola Comum e várias outras iniciativas semelhantes.

Veja também: Agricultores europeus pedem à UE que não corte gastos agrícolas do novo orçamento

A iniciativa Terra Futura delineia cinco objetivos principais que pretende alcançar ao longo da próxima década: 

  • aumentar o número de operações agrícolas sustentáveis
  • maior adesão à dieta mediterrânea
  • aumento do número de jovens agricultores
  • mais pesquisa e desenvolvimento
  • aumentar o valor da produção agroalimentar

O ministério planeja atingir os cinco objetivos por meio quinze iniciativas, que foram divididos em quatro categorias abrangentes. O governo português espera que o seguimento do plano ajude a mitigar os impactos da das Alterações Climáticas e aumentar suas exportações agrícolas, incluindo azeite.

Entre as formas de concretização da iniciativa, o ministério citou a utilização de subprodutos da produção de azeite.

A qualidade é importante.
Encontre os melhores azeites do mundo perto de você.

À semelhança do que está a acontecer em Espanha, do Céu Antunes disse que os resíduos derivados da produção de azeite podem ser transformado em biomassa, uma forma de energia renovável, que pode ser usada para alimentar os lagares de azeite ou vendida para a matriz energética mais ampla.

A iniciativa prevê também a criação de 24 "rede de inovação ”, que se espalharão por todo o país. De acordo com o ministério, um destes centros seria exclusivamente dedicado à promoção da dieta mediterrânea em Portugal.

Separada da iniciativa do ministério, mas na mesma linha, a Câmara de Comércio Portugal-China tem se reunido recentemente para discutir os laços econômicos entre os dois países. 

Em agenda está o recentemente anunciado projecto Casa de Portugal, uma nova plataforma que vai ajudar a vender e promover produtos portugueses como o vinho, o mel e o azeite - todos eles em alta demanda no país mais populoso do mundo - para os consumidores chineses.

Se tudo correr de acordo com o planejado, em 2030 o ministério espera:

  • aumentar a produção geral de alimentos em pelo menos 15 por cento
  • aumentar os fundos para P&D em 60 por cento
  • expandir a agricultura sustentável para fazer pelo menos metade de todas as operações no país
  • aumentar a adesão à dieta mediterrânea em 20 por cento
  • têm 80 por cento dos jovens agricultores trabalhando em áreas agrícolas de baixa densidade

A relevância das exportações no plano foi enfatizada pelo ministério. De acordo com Do Céu Antunes, o Instituto Nacional de Estatística informou que "as exportações agrícolas entre janeiro e julho de 2020 cresceram cinco por cento em comparação com o mesmo período do ano passado. ”





Notícias relacionadas

Feedback / sugestões