O debate sobre as informações que devem aparecer nas garrafas de azeite - e com que destaque - continua na Europa, à medida que os projetos da Comissão Européia prometem novas leis de rotulagem.

A CE não divulgou suas propostas, mas diz-se que elas incluem regras sobre posicionamento e tamanho da fonte. Por exemplo, exigir detalhes de origem para aparecer no campo visual principal no texto de pelo menos 5 milímetros no caso de pacotes de um litro.

Na última reunião do seu grupo consultivo sobre azeitonas e produtos derivados, foram levantadas preocupações sobre a praticidade de tais movimentos.

De acordo com o projeto de ata da reunião do 16 de novembro, “o tamanho em discussão não foi considerado adequado em proporção à quantidade de informação exigida no rótulo”.

Os minutos - recentemente obtidos por Olive Oil Times no âmbito da política de transparência da UE - continuou: "Como se argumentou que a quantidade de informação obrigatória a ser colocada no rótulo principal era muito grande, um representante comercial sugeriu que a informação importante deveria ser definida primeiro".

“Um representante dos produtores argumentou que a origem do produto, bem como as outras características, eram importantes, mas não necessárias no rótulo”, diz a ata.

Enquanto isso, um representante do consumidor argumentou que todas as informações essenciais deveriam ter o mesmo tamanho, as informações sobre as condições de armazenamento deveriam aparecer, e a data da embalagem seria mais explícita.

A ata dizia que foi acordado que o tamanho da fonte usada para rótulos deveria ser discutido mais adiante, “mas as informações apresentadas devem permanecer legíveis.” Foi observado que as condições de armazenamento do azeite foram consideradas importantes e que a data do engarrafamento e ano de produção teria que ser discutido com maior profundidade.

Diferenças nos dados do CE e do COI consultados

Em meio à discussão de dados provisórios para a temporada 2012 / 13, tendências de preços e exportações, representantes de fazendeiros, usinas e consumidores expuseram preocupações sobre “inconsistências” entre os dados da Comissão e os do Conselho Internacional do Azeite (COI).

O representante do consumidor disse que tais discrepâncias não devem ocorrer "tanto como a Comissão quanto o COI usam os dados fornecidos pelos governos".

Um representante da CE disse que os dados comerciais da Comissão são baseados em declarações das autoridades nacionais, mas os balanços do COI são baseados em fontes adicionais às estimativas do governo.

Também se observou que as avaliações das perspectivas de mercado dependiam em grande parte das contribuições escritas oportunamente das partes relevantes. “As partes interessadas foram convidadas a fornecer os dados para que as estatísticas refletissem melhor a situação do mercado”, observaram os minutos.



Comentários

Mais artigos sobre: ,