`3,200 galões de azeite não rastreável confiscados na Toscana - Olive Oil Times

3,200 galões de azeite não rastreável confiscado na Toscana

Dezembro 3, 2014
Marco Marino

Notícias recentes

Oficiais do Corpo Florestal do Estado italiano inspecionam um caminhão de Foggia, na Apúlia, em uma tentativa de reprimir as fraudes.

No meio da noite de 14 de novembro, em Siena, o Corpo Florestal do Estado Italiano (CFS) apreendeu um caminhão que transportava 3,200 galões de azeite de oliva com documentação informando "Azeite Extra Virgem - 100% Italiano - Colheita 2014 - 2015. “

A carga veio de Foggia, na Apúlia, mas não foi acompanhada pela documentação exigida indicando a origem e o produtor de petrazeite. Uma vez chegado, provavelmente teria sido engarrafado como azeite da Toscana, tendo outras origens.

Também havia inconsistências entre o destino da remessa no documento de transporte e a rota real do caminhão registrada pelo tacógrafo. O caminhão viajou por quatro dias sem um destino claro antes de ser parado pelos policiais perto da saída da autoestrada Bettolle, segundo relatórios, indo em direção a um conhecido produtor de azeite da Toscana. Este disse não ter relações comerciais com o fornecedor de Foggia.

As circunstâncias levaram o Corpo Florestal a confiscar a carga de azeite, por precaução, e a deitá-la em dois tanques fornecidos por um produtor de azeite de Montepulciano.

Análises físico-químicas que medem os ésteres alquílicos revelaram que o azeite era de boa qualidade e era originário dos bosques da Apúlia.

Um comunicado oficial do Corpo Florestal do Estado disse que eles estão monitorando o manuseio de remessas de azeite e azeite em toda a Toscana para evitar e possivelmente punir fraudes contra consumidores e regularidade do mercado.

Anúncios

Os controles são especialmente importantes em um ano como 2014, caracterizado pela escassez de azeite devido às más condições climáticas e à mosca da azeitona.


Anúncios

Notícias relacionadas

Feedback / sugestões