`Controles de qualidade na Europa precisam ser melhorados, constata estudo

Europa

Controles de qualidade na Europa precisam ser melhorados, constata estudo

Fevereiro 14, 2020
Costas Vasilopoulos

Notícias recentes

A União Européia lançou um estudo sobre controles de qualidade realizada pelos estados produtores de azeite.

Os requisitos relativos ao setor do azeite estão contidos no Organização Comum de Mercado (CMO), incluindo regras de marketing, rotulagem e embalagem e um conjunto de definições, designações e descrições de vendas de azeite.

O azeite é considerado em alto risco de fraude devido ao seu valor econômico em comparação com outros produtos alimentícios, o estudo enfatizou, com regulamentos em vigor para evitar práticas fraudulentas e melhorar a qualidade dos azeites europeus.

Os Estados-Membros produtores são responsáveis ​​por executar um número mínimo de controles a cada ano para confirmar que os distribuidores e varejistas cumprem os requisitos.

O estudo constatou que as verificações de conformidade relativas à proteção dos consumidores e às práticas de comércio justo entre empresas eram suficientes, enquanto outras áreas como a existência de condições equitativas e o bom funcionamento do mercado interno de azeite precisam ser inspecionadas e aprimoradas. .

Anúncios

Em termos de violações, os casos mais comuns observados durante as verificações foram a venda de azeite virgem como extra virgem e a comercialização de outros azeites vegetais com azeite como azeite puro.

Além disso, o sistema de avaliação de verificação de conformidade existente precisa ser atualizado, afirmou o estudo, para garantir que mais recursos em termos de equipe e finanças estejam envolvidos. A cooperação e a coordenação entre as autoridades nacionais e regionais precisam ser melhoradas.

Há nove Estados-Membros produtores (Espanha, Itália, Grécia, Portugal, França, Eslovênia, Croácia, Malta e Chipre), responsáveis ​​por 69% da produção global de azeite. O maior consumidor não produtor é a Alemanha, absorvendo cerca de quatro por cento do azeite da UE.



Notícias relacionadas